Conheça os alimentos que compõem a nova cesta básica

Publicado em 07/03/2024 23h03

Cadastre seu whatsapp para acompanhar o andamento deste concurso:

No Brasil, um novo decreto presidencial aumentou a quantidade de alimentos incluídos na cesta básica. Isso foi feito com o objetivo de incentivar a adoção de hábitos alimentares mais saudáveis, incluindo alimentos minimamente processados. O objetivo do governo é promover uma nutrição mais equilibrada na população, por meio desta diversificação na cesta básica.

A nova composição inclui dez grupos de alimentos essenciais, como feijões, cereais, frutas, carnes e ovos. Eles serão usados como padrão para compras e políticas públicas do governo. A diretriz enfatiza o uso de produtos naturais ou minimamente processados e promove práticas sustentáveis e o fortalecimento da agricultura familiar.
O Novo Layout da Cesta Básica
Solicite seu PDF com 5.000 Questões do concurso . Clique aqui para solicitar.


A composição da cesta básica está sendo alterada como resultado da Reforma Tributária Brasileira, com o objetivo de promover uma alimentação mais saudável e barata. Embora uma lei complementar posterior seja necessária para definir os itens específicos, já está claro que o Brasil terá uma lista uniforme, substituindo as listas diversificadas por estado.

A nova cesta básica inclui:

1- Feijões e leguminosas são fontes de fibras e proteínas.
2- Cereais são a base de uma dieta saudável.
3- Raízes e tubérculos: As mandiocas e batatas são exemplos de alimentos ricos em carboidratos.
4- Legumes e verduras apresentam uma variedade de vitaminas e minerais.
5- Frutas: Para obter uma quantidade suficiente de fibras e vitaminas, você deve comer frutas.
6- Castanhas e nozes: Ambos fornecem proteínas e gorduras nutricionais.
7- Os ovos e carnes são fontes de proteínas de alto valor biológico.
8- Leite e queijos fornecem cálcio e proteínas para melhorar a saúde óssea.
9- Com moderação, açúcares, sal, óleos e gorduras são necessários para manter o equilíbrio energético.
10- O café, o chá, o mate e as especiarias são compostos bioativos que também são antioxidantes.

De acordo com o Ministério da Cidadania, os produtos in natura ou minimamente processados (sem incluir alimentos ultraprocessados) devem ser a prioridade na nova cesta básica. Além disso, itens adicionais podem ser incluídos, como pães, conservas, peixes enlatados e queijos.

A Associação Nacional dos Supermercados apresentou uma lista de 37 itens vitais, incluindo alimentos, saúde, educação, medicamentos, transporte, insumos agrícolas e produções artísticas e culturais. O objetivo da nova cesta básica não é apenas fornecer opções de alimentos mais saudáveis, mas também promover hábitos alimentares mais saudáveis.

No entanto, há preocupações sobre a possibilidade de que a reforma tributária aumente os preços da cesta básica em até 59,83%, embora o impacto final ainda seja incerto. Embora o governo afirme que o novo sistema reduzirá os preços da cesta básica, as previsões de economistas e do relator da reforma, Aguinaldo Ribeiro, divergem.

As consequências da nova Cesta Básica para a Saúde Pública



O objetivo da nova cesta básica é criar sistemas alimentares sustentáveis e saudáveis, preservando a alimentação adequada e saudável, o meio ambiente e a renda dos pequenos produtores rurais. Este movimento reconhece a necessidade urgente de abordar as altas taxas de excesso de peso em adultos e crianças no Brasil: seis em cada dez adultos e uma em cada três crianças estão afetadas. O consumo de alimentos ultraprocessados é um fator de risco evitável para a saúde pública e foi responsável por 57.000 mortes prematuras em 2019.

- A classificação de produtos ultraprocessados: A aplicação de uma taxa de 20% sobre produtos ultraprocessados poderia resultar em uma redução de 12% no consumo desses itens. Isso teria um impacto direto na saúde pública, reduzindo a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis como hipertensão, diabetes e obesidade.
- Políticas Públicas de Nutrição e Nutrição: As políticas públicas relacionadas à segurança alimentar, como o programa Bolsa Família e o cálculo do salário mínimo, podem ser significativamente afetadas pela mudança proposta na composição da cesta básica. Espera-se que a população tenha acesso a uma alimentação mais equilibrada dando prioridade a alimentos in natura ou minimamente processados.
- Saúde e Tributação: Uma alíquota reduzida para medicamentos e produtos relacionados à saúde básica, como produtos nutricionais e parenterais, está incluída na reforma tributária. Esta ação pode ajudar as pessoas a obter uma dieta saudável, melhorando a saúde e prevenindo doenças.

Como resultado, a reestruturação da cesta básica é uma medida promissora para melhorar a saúde pública no Brasil. Ela espera reduzir os índices de morbidade e mortalidade associados a dietas inadequadas, bem como fortalecer a economia rural ajudando os pequenos produtores a prosperar.

O impacto na agricultura familiar



A agricultura familiar é fundamental para a produção de alimentos saudáveis e sustentáveis, e a nova cesta básica tem um efeito direto e significativo sobre ela. Uma abordagem que valoriza os pequenos produtores rurais e suas técnicas agrícolas prioriza produtos agroecológicos produzidos e consumidos localmente. Além de promover a economia local, isso ajuda a desenvolver sistemas alimentares mais sustentáveis.

- Priorizar Alimentos Orgânicos: Sempre que possível, o governo pretende dar prioridade aos alimentos agroecológicos que são produzidos e consumidos localmente, com o apoio da agricultura familiar. Isso promove métodos de cultivo que respeitam o meio ambiente e promovem a biodiversidade.
- Promover a produção local: Como a nova cesta básica inclui alimentos produzidos principalmente pela agricultura familiar, espera-se que ela estimule a produção. Isso tem o potencial de aumentar a demanda por produtos locais, o que aumentará a renda dos pequenos agricultores.
- Os sistemas alimentares que são sustentáveis: O objetivo da cesta básica renovada é promover um sistema alimentar mais sustentável, ao mesmo tempo em que gera renda para os pequenos produtores rurais, incluindo os agricultores familiares. O governo visa incentivar a produção dos pequenos agricultores e aumentar sua participação no mercado priorizando produtos dessa natureza.

Através do mapeamento de cozinhas solidárias em todo o país, essas iniciativas podem ajudar as comunidades rurais e urbanas, combinando agricultura familiar e urbana, hortas comunitárias e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Como resultado, não apenas a nova estrutura da cesta básica fornece alimentos mais saudáveis à população, mas também ajuda a financiar os pequenos produtores, que são essenciais para a agricultura nacional.

Efeitos na economia



A recente reforma tributária brasileira (PEC 45/2019) introduziu mudanças significativas no imposto sobre bens e serviços, incluindo a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) e o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), bem como um Imposto Seletivo (IS) para produtos considerados prejudiciais. Uma iniciativa destinada a aumentar o preço dos alimentos, a Cesta Básica Nacional com Alíquota Zero levanta dúvidas sobre a inclusão de alimentos agrotóxicos e ultraprocessados na lista de produtos isentos de impostos. O governo está fazendo todo o possível para evitar que esses itens sejam afetados pela nova reforma tributária.

As alterações no sistema tributário têm como objetivo promover uma economia mais justa e equilibrada, com diferentes efeitos dependendo do setor.

Problemas com a implementação



A implementação da nova cesta básica apresenta muitos desafios, principalmente na integração de programas sociais existentes e na coordenação entre órgãos governamentais e representantes da sociedade civil. Neste processo, dois programas e conselhos são essenciais:

- O Programa Cozinha Solidária é organizado pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS). O objetivo é fornecer refeições gratuitas a indivíduos que vivem de rua e enfrentam insegurança alimentar:
1- Alinhamento das diretrizes nutricionais com os alimentos da cesta básica é necessário para integrar este programa à nova cesta básica.
2- Estruturação logística para a distribuição de alimentos eficiente
3- Observação e avaliação da influência das refeições servidas na saúde pública.

- O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea): um órgão consultivo da Presidência composto por dois terços de representantes do governo e um terço de representantes da sociedade civil, é responsável por:
1- Auxiliar na implementação da nova cesta básica e garantir que as mudanças atendam às necessidades da população.
2- Ajudar o governo e a sociedade civil a conversar para melhorar as políticas de segurança alimentar.
3- Avaliar a eficácia das políticas que estão em vigor e sugerir mudanças conforme necessário.

A cooperação entre o Programa Cozinha Solidária e o Consea é fundamental para superar os desafios de implementação, garantindo que a nova cesta básica atenda aos objetivos de promover uma alimentação saudável e acessível, ao mesmo tempo em que ajuda as pessoas mais vulneráveis.

Encorajar uma dieta mais saudável



A revisão da composição da cesta básica brasileira é um passo importante e estratégico para ajudar as pessoas a ter hábitos alimentares mais saudáveis e uma alimentação mais equilibrada. Isso resultará em um sistema de saúde mais sustentável e uma melhor qualidade de vida. Reafirma-se o compromisso com práticas alimentares que valorizam a produção local e minimamente processada, indicando uma perspectiva positiva para a saúde pública e a valorização da agricultura familiar.

Embora seja difícil fazer essas mudanças, elas trazem a esperança de uma sociedade mais justa no que diz respeito ao acesso a alimentos saudáveis. É possível ajudar no esforço nacional para implementar a nova cesta básica se todos trabalharem juntos.

Seja avisado pelo whatsapp sobre novos concursos em sua cidade. Clique aqui para ser avisado pelo whatsapp!

Link de inscrição do concurso

Edital do concurso

Prepare-se com antecedência para a prova.
Solicite no formulário abaixo seu PDF com 5.000 Mil Questões do Concurso . Entrega agora por e-mail.

Concurso INSS: Edital com 9.229 vagas é aprovado

Os candidatos que pretendem prestar o concurso INSS já devem começar a se preparar.

Um novo Concurso INSS com 9.229 vagas foi aprovado durante votação da Proposta Orçamentária da Previdência Social para o exercício de 2024, conforme resolução CNPS/MPS N. 1.354 publicada no Diário Oficial da União.

A expectativa é de que o processo seletivo seja realizado no primeiro semestre de 2024.

As 9.229 vagas citadas no documento se dividem entre os seguintes cargos:

Técnico do Seguro Social: 5.819 vagas de Nível Médio.

Analista do Seguro Social: 1.836 vagas de Nível Superior.

Perito Médico Federal: 1.574 vagas.

As vagas serão distribuídas para todo o Brasil, conforme a necessidade do órgão.

Seja avisado pelo whatsapp quando abrirem as inscrições do concurso INSS. Clique aqui para ser avisado pelo whatsapp!

A remuneração inicial para o cargo de nível médio é atualmente de R$ 6.169,93, incluindo o auxílio-alimentação de R$ 658. Já para os analistas, o valor inicial é de R$ 9.767,20, com a mesma carga horária de 40 horas semanais.

O regime de contratação do INSS é o estatuário, ou seja, garante estabilidade, o servidor só poderá ser demitido se cometer alguma falta grave.

É necessário ter idade mínima de 18 anos completos na data da posse. Não há exigência de idade máxima.

Confira 6 motivos para participar do concurso INSS.

1 - Possibilidade de ascensão:
Os salários dos servidores aumentam conforme as progressões na carreira.

2 - Estabilidade:
O regime estatutário garante a estabilidade financeira e empregatícia.

4 - Qualidade de vida:
Devido a estabilidade garantida pelo regime estatutário, as ótimas remunerações com possibilidades de progressões e as jornadas de trabalho de 40 horas semanais, os contratados pelo órgão após aprovação no concurso público poderão contar com uma excelente qualidade de vida.

5 - Oportunidades para todo o Brasil:
As provas do concurso INSS serão aplicadas por todo o país, de maneira que os concurseiros das mais diversas regiões poderão realizar as avaliações.

6 - Ampla oferta de vagas:
O concurso conta com uma grande oferta de 9.229 vagas.

As inscrições do concurso INSS ainda não foram abertas. A expectativa é de que o processo seletivo seja realizado no primeiro semestre de 2024.

Não importa se essa é sua primeira vez no mundo dos concursos, a chance de pelo menos uma vaga entre 9.229 oportunidades disponibilizadas existe e você pode garantir uma delas.

Seja avisado pelo whatsapp quando abrirem as inscrições do concurso INSS. Clique aqui para ser avisado pelo whatsapp!

Prepare-se com antecedência para a prova.
Solicite no formulário abaixo seu PDF com 5.000 Mil Questões do Concurso . Entrega agora por e-mail.

O site Concursos.com.br apresenta:

+de 1 milhão de Questões de Concursos em PDF - Gabaritadas

  • Material atualizado para todo sempre com questões de milhares de Concursos de todo o país.

  • Para facilitar sua preparação, o conteúdo está organizado por Instituição, Ano e Cargo.

  • Questões com gabarito de todos os principais concursos: INSS, Caixa, Banco do Brasil, Correios, Receita Federal, IBGE, Polícia Federal, PRF, Polícia Civil, Polícia Militar, dentre outros.

  • Além disso, o material contém as questões das provas do ENEM e OAB.

  • Acesse e baixe os arquivos de qualquer lugar pelo seu celular ou computador. Download ilimitado!

De R$ 24,90 por
R$ 12,00

Cadastre seu whatsapp para acompanhar o andamento deste concurso:

© Copyright 2014 - 2024 Concursos.com.br